Carboidrato é Açúcar? Diferenças e O Que é Importante

      Comentários desativados em Carboidrato é Açúcar? Diferenças e O Que é Importante
Açúcar

Os carboidratos são fonte importantíssima de energia para o organismo. Sabemos que consumi-los em excesso pode engordar e que existem carboidratos bons e ruins, simples e complexos. No entanto, veja a seguir se carboidrato é açúcar, quais são as diferenças entre seus tipos variados e se ele faz mal ou não para a saúde.

Antes de qualquer coisa, vale a pena conferir as diferenças entre carboidratos simples e complexos e ver quais são os alimentos ricos em cada tipo de carboidrato.

O processamento dos carboidratos no organismo

Se queremos entender se o carboidrato é açúcar e como funciona a relação entre as suas substâncias, é importante que conheçamos o que acontece no organismo após a ingestão de carboidratos.

Pois bem, os carboidratos são decompostos pelo sistema digestivo na forma de açúcar. Quando o açúcar digerido entra no sangue, o corpo produz um hormônio conhecido pelo nome de insulina.

O Instituto
Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais (NIDDK, sigla em inglês) dos
Estados Unidos explica que a insulina é responsável por auxiliar a glicose
obtida através dos alimentos a chegar até as nossas células e ser utilizada
como energia.

Então, uma vez que as células absorvem o açúcar, os níveis de glicose no sangue caem. Entretanto, isso não significa necessariamente que todo carboidrato é açúcar.

Os carboidratos são uma categoria ampla, ou seja, nem todos os carboidratos são a mesma coisa.

O açúcar é um tipo de carboidrato

Existem três tipos principais de carboidratos: o amido, as fibras e o açúcar. Ou seja, o açúcar é um tipo de carboidrato, mas nem todo carboidrato é açúcar.

O amido é encontrado em alimentos como ervilha, milho, batatas, feijões, grãos como aveia, arroz e cevada, além de produtos à base de farinha de trigo. No grupo dos amidos, encontramos os grãos integrais e os grãos refinados. Um grão integral é um grão inteiro, que contém todas as suas três partes: farelo, germe e endosperma e, com isso, preserva todos os seus nutrientes.

Já um grão refinado possui somente o
endosperma ou a parte amilácea (rica em amido) e, por conta disso, perde uma
série de vitaminas e minerais.

Por sua vez, as fibras são a parte
indigerível de alimentos de origem vegetal como frutas, vegetais, grãos
integrais (as fibras se encontram, em grande parte, no farelo do grão), nozes e
leguminosas.

Ou seja, o que acontece dentro do organismo é que, quando uma pessoa ingere fibras, a maior parte do nutriente passa pelos intestinos sem ser digerida.

Consumir fibras no dia a dia é importante para a saúde do sistema digestivo, para manter a regularidade intestinal e para promover a sensação de saciedade no corpo após uma refeição.

E então, temos o açúcar, que é conhecido
como um carboidrato simples ou de ação rápida. Isso significa que ele é
decomposto rapidamente pelo organismo para ser usado como fonte de energia.

Existem dois tipos de açúcares: os
naturais, que estão presentes em alimentos como as frutas e o leite, e os
adicionados, que são acrescentados a produtos durante o seu processamento.

Esses açúcares processados e refinados não
são considerados boas alternativas de carboidratos para a dieta.

Todo carboidrato é transformado em açúcar no organismo?

Já vimos que, depois de serem ingeridos, os carboidratos são decompostos na forma de açúcar para serem utilizados como energia pelo nosso corpo. Entretanto, não são todas as versões do nutriente que passam por esse processo dentro do nosso organismo.

Durante o processo de digestão, tanto os açúcares quanto os amidos são transformados nos açúcares que o corpo usa como energia. As pessoas carecem das enzimas necessárias para digerir as fibras, então elas passam pelo trato digestivo sem serem transformadas em açúcar.

De acordo com a mestra em política
alimentar e nutrição aplicada, as plantas (vegetais) formam os amidos, também
conhecidos como carboidratos complexos (ou seja, o oposto dos carboidratos
simples), por meio da junção de açúcares.

Quando você come alimentos ricos em amido, os amidos são decompostos na forma de açúcares, incluindo glicose, maltotriose e maltose, por uma enzima chamada amilase, encontrada na saliva e no intestino delgado. Esses açúcares compostos são repartidos em açúcares simples por outras enzimas, incluindo maltase, lactase, sacarase e isomaltase.

No tópico a seguir, vamos entender o que acontece com a digestão dos açúcares.

Os açúcares simples e os açúcares compostos

Não vamos confundir: os açúcares são classificados como ricos em carboidratos simples, e dentro do grupo dos açúcares, existem os que são simples e os que são compostos.

Os açúcares simples são aqueles que não precisam ser repartidos durante a digestão.

Os três principais açúcares simples são glicose, frutose e galactose. Glicose e galactose são facilmente absorvidos, mas algumas pessoas têm dificuldades para absorver a frutose se ela não estiver acompanhada de glicose ou galactose.

Já os açúcares compostos são: sacarose (uma combinação entre frutose e glicose), lactose (uma junção de galactose e glicose) e maltose (uma união de duas moléculas de glicose).

Durante a digestão, as enzimas quebram o vínculo entre as moléculas de açúcar para transformar os açúcares complexos em açúcares simples.

Atenção

Nós vimos como os carboidratos são transformados em energia no nosso organismo e conhecemos os principais diferentes tipos que carboidratos que podem ser encontrados. Também deu para perceber que eles podem ser encontrados tanto em alimentos saudáveis como frutas, grãos e vegetais quanto em produtos pobres em nutrientes como os processados industrializados.

Portanto, a conclusão que fica é que nem todo carboidrato é ruim. Nós de fato devemos reduzir a quantidade de açúcar livre (encontrado, por exemplo, em bolos, massas, refrigerantes e doces) na nossa dieta, mas devemos basear as nossas refeições em carboidratos amiláceos, particularmente nas variedades ricas em fibras.

Com isso, o ideal é buscar fornecer a energia
do carboidrato ao corpo por meio de alimentos saudáveis, que além de conter os
carboidratos, também contenham outros nutrientes necessários para que o
organismo funcione apropriadamente.

Não custa lembrar ainda da necessidade de
se ter uma alimentação saudável e equilibrada, sem exageros e composta por
quantidades adequadas de todos esses nutrientes que o nosso corpo precisa.

Principalmente para quem tem dificuldade
em seguir esse tipo de dieta, vale muito a pena contar com o acompanhamento de
um bom nutricionista.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já se perguntou se carboidrato é açúcar? Costuma consumir que tipo de carboidrato com maior frequência na dieta? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.