Coco é Remoso?

      Comentários desativados em Coco é Remoso?
Coco

Confira se, mesmo sendo um alimento cheio de nutrientes e benefícios para a saúde, podemos dizer que o coco é remoso, ou seja, faz mal em determinadas situações.

Embora seja considerada uma fruta rica em gorduras saturadas, o coco também possui nutrientes benéficos para o funcionamento apropriado do nosso organismo como fibras, potássio, cálcio, magnésio, ferro e vitamina C.

Mas será que ao utilizarmos o alimento nas receitas do dia a dia, precisamos nos preocupar se o coco é remoso?

O que são alimentos remosos?

Quando queremos entender se o coco é remoso, precisamos começar aprendendo o que significa ser um alimento remoso.

Pois
bem, de acordo com o dicionário, a expressão remoso significa “capaz de
prejudicar a saúde, que faz mal à saúde, especialmente ao sangue […]”. O
termo ainda pode sofrer uma pequena variação e ser chamado de reimoso.

O
termo reimoso não se trata de uma classificação científica, mas é uma expressão
antiga, associada à sabedoria popular, que também pode definir os alimentos que
podem provocar inflamação na pele, em decorrência de uma reação alérgica.

Chama-se popularmente de reima algo que pode ser considerado um alergênico e que causa reações como coceira, diarreia e intoxicações mais sérias em algumas pessoas.

Os alimentos remosos ou reimosos também são conhecidos pela alcunha de “alimentos carregados”. Essas comidas costumam apresentar quantidades elevadas de proteína e gordura animal.

E então, o coco é remoso?

Não foram encontradas informações confiáveis que confirmem que o coco é remoso. Entretanto, de acordo com informações da Sociedade Australasiana de Imunologia Clínica e Alergia (ASCIA), ainda que sejam relativamente raras, já houve o registro de reações alérgicas ao consumo de coco.

Conforme a ASCIA, um desses poucos casos de aparecimento de reações alérgicas à ingestão aos produtos do coco incluiu um quadro de perturbação no estômago em um bebê que tomou uma fórmula para bebês que continha coco. Também foram registrados casos de reações alérgicas graves ao coco – anafilaxia -, informou a organização.

A anafilaxia é uma emergência médica potencialmente fatal que pode fazer com que o corpo entre o choque e envolver sintomas como perda de consciência, queda na pressão, dificuldade grave em respirar, erupção cutânea, vertigem, náusea, vômito e pulso rápido e fraco.

De acordo com a ASCIA, em algumas dessas situações em que a anafilaxia apareceu, ainda foi descoberto que as pessoas afetadas apresentavam alergia não somente ao coco, mas também a frutos secos como nozes e avelãs, e foram identificadas respostas alérgicas a proteínas similares presentes em ambos os tipos de alimentos – um conceito que é conhecido pelo nome de reatividade cruzada.

Ainda que a ASCIA defina a reatividade cruzada como
um conceito complicado, ela esclareceu resumidamente o problema: “A reatividade
cruzada significa que uma proteína similar está presente em uma gama de
diferentes alimentos. Se uma mesma proteína estiver presente em diversos
alimentos, então aquelas pessoas (que apresentam alergia a proteína em questão)
podem ter reações alérgicas a qualquer alimento que contenha essa proteína”.

Além disso, a organização informou que a dermatite
alérgica de contato aos produtos do coco é uma condição mais comum. A ASCIA
exemplificou que esses produtos podem estar presentes em shampoos, hidratantes,
sabonetes, produtos de limpeza e líquidos para lavar as mãos.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)
explica que a dermatite ou eczema de contato é uma reação inflamatória que se
desenvolve na pele em decorrência da exposição a um agente capaz de provocar
irritação ou alergia.

A dermatite alérgica de contato aparece depois de exposições repetidas a determinados produtos ou substâncias e depende de ações do sistema de defesa do organismo, podendo, por esse motivo, demorar de meses a anos após o contato inicial para ser desenvolvida, esclareceu a SBD.

De acordo com a instituição, a dermatite alérgica
de contato geralmente surge por meio do contato com produtos de uso diário e
frequente como perfumes, cremes hidratantes, esmaltes de unha e medicamentos de
uso tópico, por exemplo.

Em alguns casos, alguns produtos como sumos de
frutas cítricas e perfumes provocam reações somente após a exposição ao sol,
enquanto outros como inseticidas em sprays e perfumes para ambientes entram em
contato e atingem a pele sendo carregados pelo ar, completou a SBD.

Os sintomas da dermatite alérgica de contato são variáveis e dependem do que causou a condição, entretanto, podem incluir problemas como ardor, queimação, coceira intensa, erupção vermelha nos locais da pele que tiveram contato com a substância.

A SBD também alertou que, além de ser vermelha, uma lesão provocada pela dermatite de contato pode inchar, apresentar pequenas bolhas, ser quente ou formar crostas espessas.

O que fazer se apresentar sintomas depois de usar o coco?

Se depois que consumir o coco ou utilizar qualquer produto que contenha o coco em sua composição você experimentar os sintomas de anafilaxia ou dermatite alérgica de contato mencionados no tópico acima ou quaisquer outras reações adversas – de ordem alérgica ou não -, é fundamental que procure a ajuda médica, mesmo que os sinais em questão não aparentem ser graves.

Isso é importante para checar a verdadeira gravidade dos sintomas, tratá-los de maneira adequada e descobrir se tem ou não alguma alergia ao coco e aos produtos à base da fruta.

Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que coco é remoso? Consome com frequência na sua dieta? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.