Diabético Pode Comer Macarrão?

      Comentários desativados em Diabético Pode Comer Macarrão?
Macarrão

Veja a seguir se diabético pode comer macarrão ou se esse é um dos alimentos que devem ser evitados na dieta de quem sofre com a condição.

Um almoço de domingo em família sempre combina com uma bela macarronada. Mas será que todo mundo pode saborear o macarrão sem grandes preocupações ou quem sofre com alguma doença que impõe restrições na alimentação precisa tomar cuidado com o prato? Por exemplo, será que o diabético pode comer macarrão?

Antes de entrarmos em detalhes veja também algumas receitas de macarrão low carb que podem ser úteis e entenda o que engorda mais – arroz ou macarrão.

O que é a diabetes?

Para que possamos entender se o diabético pode comer macarrão e por quais motivos existe essa preocupação, é importante conhecer melhor a diabetes.

A doença é caracterizada
por níveis muito elevados de glicose (açúcar) no sangue. Essa substância é a
maior fonte de energia para o nosso organismo e é oriunda dos alimentos que
consumimos nas refeições.

Uma pessoa desenvolve a condição
quando o seu corpo não dá conta de produzir uma quantidade suficiente ou
qualquer quantia de insulina ou não consegue utilizar o hormônio adequadamente.

Isso faz com que a glicose permaneça
no sangue e não atinja as células do organismo, já que a insulina é justamente
responsável por auxiliar a glicose obtida através da dieta a chegar até as
nossas células e ser utilizada como energia.

Ao descobrir que sofre com a diabetes, é fundamental que o paciente não perca tempo e obedeça a todas as orientações passadas pelo médico para o seu tratamento.

Até porque, com o passar do tempo,
ter níveis elevados de glicose no sangue pode gerar uma série de complicações
como doença no coração, acidente vascular cerebral (AVC), doença nos rins,
problemas nos olhos, doenças dentárias, danos nos nervos e problemas nos pés.
As informações são do Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e
Renais (NIDDK, sigla em inglês) dos Estados Unidos.

E então, será que o diabético pode comer macarrão?

De acordo com a Associação Americana da Diabetes, alimentos amiláceos (ricos em amido) como o macarrão até podem fazer parte de um plano alimentar saudável, entretanto, é fundamental ter cuidado com o tamanho das porções.

Vale lembrar que o amido é um tipo de carboidrato, um nutriente que é decomposto no sistema digestivo na forma de açúcar, conforme o que explicou o site Medical News Today.

Indivíduos que vivem com a diabetes do tipo 1 e do tipo 2 têm que monitorar a sua ingestão de carboidratos para controlar o açúcar no sangue. A ingestão excessiva de carboidratos pode gerar a hiperglicemia ou açúcar elevado no sangue.

Mas isso realmente não significa necessariamente banir o macarrão e outros alimentos com carboidratos da dieta. Embora as pessoas que sofrem com a doença imaginem que não possam consumir carboidratos, o nutriente serve como combustível para o organismo e pode ser ingerido, desde que em porções apropriadas.

Para saber com que frequência o diabético pode comer macarrão e qual a quantia máxima do alimento que pode consumir, é fundamental que consulte o médico e o nutricionista que cuidam do seu caso.

A contagem de carboidratos na dieta do diabético

Segundo a Associação Americana de Diabetes, a contagem de carboidratos é uma das diversas alternativas de dieta que podem ser utilizadas para controlar os níveis de glicose no sangue dos diabéticos, usada com mais frequência por pessoas que tomam insulina duas vezes ou mais a cada dia.

O método envolve contar a quantidade em gramas de carboidratos de cada refeição, combinando com a dose de insulina. Segundo a instituição, com o equilíbrio correto da prática de atividades físicas e do uso de insulina, a contagem de carboidratos pode auxiliar a controlar as taxas de glicose no sangue.

Entretanto,
a Associação Americana de Diabetes ressaltou que a quantidade de carboidratos
que cada diabético pode consumir em cada refeição deve ser definida em conjunto
com o médico responsável pelo tratamento. Ou seja, o limite é individualizado e
determinado pelo profissional de saúde conforme as necessidades de cada
paciente.

Ao
saber o limite de carboidratos que pode ingerir por refeição, o diabético
poderá (e deverá) usar essa informação como base para calcular a porção de
macarrão que pode comer por vez, sem deixar de levar em conta o teor de
carboidratos do restante da refeição na hora de fazer esse cálculo. Isso sempre
sob a orientação do médico e do nutricionista, logicamente.

Ao comer uma refeição com macarrão, os diabéticos devem evitar outros alimentos com carboidratos como pães, frutas ou sobremesas porque provavelmente já atingiram os seus limites de carboidratos com o macarrão. No lugar disso, eles podem equilibrar o macarrão com vegetais sem amido e carne magra.

A escolha do tipo de macarrão também importa

Escolher um macarrão mais saudável pode ajudar em relação ao efeito do alimento sobre os níveis de glicose no sangue. Os macarrões integrais ou fortificados carregam mais fibras do que a versão regular do produto.

Macarrões low carb também são boas escolhas para aqueles com diabetes, desde que eles não contenham açúcar adicionado ou xarope de milho. Os macarrões de grão integral e low carb devem ter um mínimo de 3 a 5 g de fibras por porção.

As fibras podem auxiliar a normalizar as taxas de açúcar no sangue em resposta ao consumo de alimentos e desaceleram a absorção de açúcar, o que pode melhorar os níveis de glicose no sangue.

As fibras também podem ajudar a diminuir o colesterol, aumentar a saciedade e melhorar a saúde digestiva. Para saber qual é a quantia de carboidratos e fibras que um macarrão apresenta, cheque a tabela nutricional que deve estar presente na embalagem do produto.

De olho nos acompanhamentos do macarrão

Não se deve adicionar sal ao macarrão e que é preciso ter cuidado com os molhos: os melhores são os com baixo teor de gorduras e que apresentam menos de 400 mg de sódio por porção, informou a Associação Canadense da Diabetes.

Alimentos ricos em gorduras saturadas e trans, açúcar adicionado, sódio, grãos refinados e carnes gordurosas devem ser evitados porque podem contribuir com ganho de peso, obesidade, complicações da diabetes e outras doenças como câncer, pressão alta e doença no coração.

Evite os macarrões preparados com muito óleo e os que venham acompanhados de molhos à base de creme ou manteiga, que são ricos em gorduras saturadas e colesterol.

De
acordo com a Associação Canadense da Diabetes, outro conselho é reservar um
pouco da água de cozimento que é escorrida depois que o macarrão fica pronto e
adicionar no molho, o que fará com que uma menor quantidade do molho seja
utilizada.

Uma outra dica importante é colocar o macarrão em um pratinho pequeno e comer como acompanhamento um prato maior de salada verde, sem incluir pãezinhos para completar a refeição.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sabia se diabético pode comer macarrão? Pretende mudar sua dieta agora? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.