QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DA GRAVIOLA?

      Nenhum comentário em QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DA GRAVIOLA?

CHÁ DE FOLHA DE GRAVIOLA

O chá de folha de graviola está com uma fama excelente. Vamos conhecer um pouco desta fruta espetacular.

A graviola ou Annona muricata é uma árvore perene nativa dos climas quentes e úmidos. Desenvolve-se bem no Brasil, México, região do Caribe e América Central. Suas sementes, frutas e folhas são utilizadas como sedativo.

Benefícios do chá de folha de graviola

Segundo a crença popular, este chá auxilia no tratamento de queixas estomacais e febre. No entanto, ainda faltam experimentos clínicos para apoiar esses usos.

Neste post vamos falar sobre uma bebida preparada a partir da folha de graviola – o chá de folha de graviola. E vamos  conhecer quais efeitos ele pode causar ao nosso organismo.

De acordo com a especialista em nutrição fitness Malia Frey, existem pessoas que utilizam a graviola para o emagrecimento.

Entretanto, não existem evidências científicas suficientes para apoiar esse uso. Quem faz esta afirmação, baseia-se no banco de dados de remédios naturais do Centro de Pesquisa Terapêutica dos Estados Unidos,

Porém, a voz do povo é a voz de Deus e existem relatos de que o chá de graviola pode contribuir para o emagrecimento.

No entanto, apesar de se tratar de um chazinho e ser tomado por inofensivo, os especialistas alertam que no caso da infusão vai ser preciso consultar um nutricionista. Só ele poderá indicar a quantidade certa que você deverá tomar.

Estas referências a emagrecimento, no entanto, não vêm de especialistas, mas apenas da crença popular. Sendo assim, ainda não há comprovação científica de seus efeitos neste sentido.

Seja como for, sempre que resolver seguir um programa assim como este, busque o acompanhamento de um nutricionista. Pergunte também ao seu educador físico para garantir eficiência e segurança ao processo.

Para que serve o chá de folha de graviola

1. Combate o câncer

Embora não haja estudos que comprovem cientificamente, o chá de graviola, feito a partir das suas folhas, é divulgado como uma bebida que pode ser usada no tratamento ou na prevenção do câncer.

Quem afirma é a especialista em nutrição fitness Malia Frey. Ela se baseou em seus estudos e na publicação da revista Carcinogenesis. Nesta publicação, os autores atestam a possibilidade de que muitas plantas tenham verdadeiro potencial de cura.

Não será de estranhar quando fizerem esta comprovação em laboratório, já que se os homens a usam há tempos, é porque funciona. Do contrário já a teríamos abandonado.

Há de se notar que das muitas plantas analisadas até agora “cientificamente”, pouquíssimas se revelaram inócuas. Ainda assim, há que se suspeitar também das análises científicas, por diversos motivos.

Entretanto, devido às leis que regem nossa economia – sem negar a importância da confirmação laboratorial – só depois das análises de laboratório terão coragem de confirmar estas propriedades com certeza.

Não se pode esquecer que os cientistas falam com grande autoridade, como se soubessem tudo, No entanto, o ovo, que há pouco tempo fazia mal, agora faz bem. E há inúmeros exemplos como este, de mudança radical de opinião por parte dos especialistas.

Então, duvidar é preciso. Sempre.

Faltam pesquisas

E os Centros de Tratamento do Câncer da América – para não dizer do mundo todo, continuam nesta posição. Segundo Malia Frey, “especialistas alertam contra o uso da fruta para tratar o câncer. Enquanto pesquisas sugerem que a graviola pode combater o câncer, ela não foi estudada em humanos. Como resultado, não existem evidências da sua segurança ou eficácia”.

Se a ciência fosse mais maleável, poderia tomar como certo o testemunho de quem já sarou com o uso da fruta, mas não é assim que funciona o mecanismo.

E, apesar da controvérsia – ou talvez para aumentá-la – a Fundação do Câncer declara que a  graviola possui, principalmente em suas folhas e sementes, um composto quimiopreventivo conhecido pelo nome de acetogenina.

Para não fugir do consenso geral, entretanto, a organização alerta que o composto apenas previne, porém, não cura o câncer, Sua ação se restringe à prevenção, exatamente como agem outros compostos preventivos, como os encontrados nas frutas, verduras e legumes.

A Fundação do Câncer coloca ainda, a posição da comunidade médico-científica. Segundo esta, ainda não há conclusão definitiva sobre se a acetogenina, ingerida oralmente, pode ser aproveitada pelo nosso corpo.

Além de tudo isso ainda existe a discussão sobre o cozimento das folhas, necessário para se fazer o chá. Não se sabe se neste processo se perdem algumas das substâncias ativas da planta.

Também levantam a questão de que não se sabe quais seriam os efeitos se folhar ou sementes fossem ingeridas cruas, ou mesmo torradas.

Ademais, a Fundação do Câncer garante que o composto não funciona na forma de cápsulas.

2. Relaxamento

Em seu artigo, Frey também afirmou que algumas pessoas utilizam o chá de folha de graviola para aumentar o relaxamento.

Segundo o Centro de Pesquisa Terapêutica dos Estados Unidos, também não existem evidências científicas que apoiem esse uso para a bebida.

Contraindicações e cuidados com a graviola

Ainda que não estejamos de acordo com a posição da ciência oficial, vamos reportar suas conclusões.

De acordo com as informações fornecidas, a graviola não deve ser utilizada por mulheres que estejam grávidas ou amamentando.

Também alertam para a possibilidade de a graviola piorar os sintomas da doença de Parkinson. Isso, quem afirma, é o site drugs.com. Segundo eles, as pessoas com esta doença não devem ingerir nem a fruta, nem o chá das folhas.

Segue uma breve lista de pessoas que devem evitar o consumo da graviola:

os diabéticos

aqueles afetados por caxumba

quem tem aftas, ferimentos na boca ou cáries

quem sofre de pressão arterial baixa

quem toma remédio para a pressão

as grávidas

as que estejam amamentando

quem tem problemas no fígado

quem tem problemas nos rins

quem tem baixo número de plaquetas no sangue

quem recebe radiação nuclear de qualquer espécie

Pelo sim, pelo não, é bom ficar atento. Quem faz estas afirmações é nada mais nada menos que o New York Memorial Sloan Kettering Cancer Center. Este é o centro de tratamento de câncer de Nova Iorque.

Efeitos colaterais

Malia Frey continua sua lista de advertências. Apesar de curta, a lista é no mínimo dolorosa. Veja a seguir as afirmações que ela faz.

o uso repetido da graviola é tóxico para os rins e o fígado

pode provocar efeitos colaterais como distúrbios de movimento

pode produzir sintomas semelhantes aos da doença de Parkinson

Contudo, a conversa continua a mesma: são necessárias mais pesquisas para que a comunidade médica possa informar ao público sobre os riscos e os benefícios da graviola.

Caso você não confie na receita da vovó, converse com seu médico antes de começar a tomar o chá, seja qual for a intenção. Veja se seu médico saberá lhe informar qual dosagem seria adequada e se não lhe fará mal. Isso é especialmente importante para pessoas que se incluam em alguma das situações acima, as grávidas e as que amamentam.

Especial atenção também deve ser dada às crianças, aos adolescentes e aos idosos. Todos estes apresentam estrutura orgânica mais delicada.

É certo que não se pode considerar o medicamento inofensivo, apenas porque “é natural”. Sim, é natural, mas os princípios ativos contidos nas plantas são tão ativos quanto os remédios de farmácia e, às vezes, até mais.

Podem provocar efeitos colaterais e interagir com medicamentos, suplementos ou outras plantas. Podem mesmo fazer mal a sua saúde, dependendo do caso.

Fontes:

mundoboaforma.com.br

New York Memorial Sloan Kettering Cancer Center 

Leia também A GRAVIOLA

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.