Benefícios do Sal Amargo – Para Que Serve, Como Tomar e Efeitos Colaterais

      Comentários desativados em Benefícios do Sal Amargo – Para Que Serve, Como Tomar e Efeitos Colaterais
Sal amargo

As propriedades e benefícios do sal amargo que ajudam a aliviar diversos problemas de saúde o tornam muito conhecido na medicina tradicional.

O uso do sal amargo pode auxiliar no alívio de dores musculares e estresse, dentre outros, mas pouca gente sabe o que é esse sal e como ele deve ser usado.

Para sanar esse tipo de dúvida, vamos trazer informações sobre os benefícios do sal amargo, sobre como tomar e também os possíveis efeitos colaterais desse sal.

Sal amargo – O que é?

O sal amargo, conhecido também como sal de Epsom ou sulfato de magnésio é um composto químico que contém em sua composição elementos como o enxofre, o oxigênio e o magnésio.

Descoberto e usado pela primeira vez na Inglaterra, o sal amargo é muito diferente do sal de cozinha (cloreto de sódio). Apesar de ser chamado de sal e ser muito parecido visualmente com o sal de cozinha, o sal de Epsom não é usado com frequência na cozinha devido ao seu sabor amargo e desagradável. Porém, ele é muito usado em banhos como um composto terapêutico e por isso é muito conhecido também como sal de banho.

Embora o gosto do sal amargo não seja agradável para todas as pessoas, há quem o tome dissolvido em água, mas dificilmente ele é adicionado em receitas como costumamos fazer com o sal de cozinha.

Para que serve

Ainda que muitos benefícios do sal amargo não tenham sido totalmente comprovados pela ciência, o sal de Epsom tem sido usado há centenas de anos para tratar muitas doenças e condições de saúde incluindo a insônia, a fibromialgia e a constipação.

A maior parte dos benefícios relacionados ao uso de sal amargo tem a ver com a presença do mineral magnésio em sua composição, que é importantíssimo para diversas reações metabólicas que ocorrem diariamente no organismo humano.

Benefícios do Sal Amargo

Muitas pessoas e até alguns
profissionais da saúde relatam que o sal amargo pode ser usado como um composto
terapêutico que ajuda a tratar várias condições de saúde. Alguns dos possíveis
benefícios do sal amargo são os seguintes:

1. Fonte de magnésio

O magnésio é um dos minerais mais
abundantes no corpo humano. Ele participa de mais de 325 reações bioquímicas
essenciais para o bom funcionamento do sistema nervoso e de órgãos como o
coração.

Apesar de ser indispensável para a saúde, dados mostram que boa parte da população não consome as quantidades recomendadas de magnésio diariamente. E até aqueles que ingerem as quantidades indicadas por órgãos de saúde podem não adquirir as quantidades realmente necessárias para as funções metabólicas. Segundo estudo publicado em 2003 no periódico The Clinical Biochemist Reviews, a presença de fitatos e oxalatos na dieta pode interferir na absorção de magnésio pelo corpo.

Embora alguns especialistas aleguem
que tomar banho com sulfato de magnésio permite uma melhor absorção de magnésio
do que a suplementação oral, o estudo mencionado anteriormente discorda. De
acordo com ele, o magnésio não pode ser absorvido através da pele em
quantidades significativas.

Assim, mais estudos são necessários para saber se tomar banho com sal de Epsom pode ou não aumentar a concentração de magnésio no organismo.

2. Alívio da constipação

Uma pesquisa publicada em 2009 no
periódico científico American Family Physician indica que o magnésio
encontrado no sal amargo pode ajudar a atrair mais água para o cólon, o que
causa mais movimentos intestinais, aliviando a prisão de ventre.

Não é à toa que pessoas que sofrem
de constipação geralmente melhoram depois de tomar suplementos de magnésio por
via oral como o hidróxido de magnésio ou o citrato de magnésio, por exemplo.

Embora não seja muito comum, o Food
and Drug Administration
(FDA) aprova o uso de sal amargo como laxante,
apesar de não atestar a eficácia do produto.

Segundo dados encontrados em
embalagens do produto, adultos podem tomar cerca de 2 a 6 colheres de chá de
sal amargo para cada xícara de água. O efeito laxante que alivia a constipação
geralmente ocorre entre 30 minutos e 6 horas após a ingestão.

De acordo com um estudo de 2012 publicado na revista Clinics in Colon and Rectal Surgery, o consumo de sal amargo por via oral pode causar alguns efeitos adversos como inchaço e fezes líquidas ou inconsistentes e, assim, não deve ser usado a longo prazo.

3. Redução do sono e do estresse

Manter os níveis de magnésio
adequados é importante para o controle do estresse e do sono. Um estudo de 2015
publicado na revista Physiological Reviews explica que o magnésio
auxilia o cérebro na produção de neurotransmissores envolvidos na indução do
sono e na redução do estresse. Soma-se a isso um fato descrito em um artigo
publicado em 2012 no periódico Food & Nutrition Research que mostra
que o magnésio pode ajudar o corpo a produzir o hormônio do sono conhecido como
melatonina.

Desta forma, fica claro que a
deficiência em magnésio pode interferir na qualidade do sono e aumentar os
níveis de estresse.

Há vários relatos de que tomar banhos com sal de Epsom pode ajudar a aliviar o estresse e a melhorar o sono devido à absorção de magnésio através da pele. No entanto, os especialistas acham mais provável que a melhoria desses aspectos tenha relação com a sensação de relaxamento provocada pelo banho quente, já que quantidades muito baixas de magnésio seriam absorvidas por meio da pele.

4. Desempenho no exercício e recuperação mais eficaz

Alguns praticantes de atividades
físicas afirmam que tomar banho com sal amargo pode auxiliar na redução de
dores musculares e promover alívio para cãibras.

De fato, dados publicados em 2006 no
periódico Magnesium Research, o magnésio é um mineral muito útil durante
a prática de exercícios físicos porque ele ajuda o corpo a utilizar a glicose e
o ácido lático que se acumula no organismo.

Entretanto, um artigo publicado em
2017 na revista científica Nutrients indica que não há evidências
contundentes de que é possível absorver magnésio através da pele por meio da
exposição a uma solução de sal amargo em água.

Esses benefícios do sal amargo são apenas anedóticos, ou seja, não há comprovação científica de que apenas o banho com sal amargo seja capaz de aumentar os níveis de magnésio no corpo. Já o uso de suplementos de magnésio por via oral pode sim evitar a deficiência nutricional e beneficiar os atletas e amadores do esporte e da atividade física em geral.

5. Redução do inchaço e da dor

Muitas pessoas relatam que o sal amargo ajuda a diminuir a dor e o inchaço. Muitas delas afirmam que tomar banhos com sal amargo pode até melhorar sintomas de doenças que causam muita dor como a artrite e a fibromialgia.

Em um estudo de 2015 indexado no periódico científico Journal of Integrative Medicine feito com 15 mulheres que sofriam de fibromialgia, foi observado que a aplicação de cloreto de magnésio sobre a pele resultou em uma redução nos sintomas da doença. Isso indica que o magnésio pode ter um papel importante na amenização dos sintomas.

Porém, o estudo não é tão confiável já que não foi usado um grupo de controle e a pesquisa se baseou apenas em um questionário respondido pelas mulheres e não se sabe ao certo se o sal é realmente eficaz ou não na redução do inchaço e da dor.

Como tomar

Existem algumas maneiras de usar o sal amargo. As principais são mostradas abaixo:

1. Banho relaxante

O principal modo de usar o sal amargo é através da sua dissolução em água para tomar banho. Assim, pessoas que têm banheiras em casa, por exemplo, costumam tomar um banho relaxante com sal de Epsom para obter diversos benefícios.

Ao ser dissolvido em água, o sal
amargo libera íons de magnésio e íons sulfato na água. Acredita-se que esses
íons podem ser absorvidos através da pele. No entanto, alguns estudos mostram
que íons como o magnésio ou o sulfato não podem ser absorvidos pela pele. É o
que mostra um estudo de 2017 publicado no periódico científico Nutrients que já foi mencionado neste
artigo. Ou seja, não existem evidências científicas contundentes de que
minerais possam ser absorvidos pela pele.

Apesar de evidências contrárias aos benefícios obtidos através da absorção do sal de Epsom pela pele, algumas pessoas acreditam nesses benefícios do sal amargo e usam-no mesmo assim.

O mais comum é adicionar 2 xícaras
(o equivalente a aproximadamente 475 gramas) de sal amargo à água em uma banheira
e tomar um banho molhando todo o corpo por ao menos 15 minutos.

Também é possível usar o sal amargo em um banho no chuveiro. Basta espalhar o sal por toda a pele e ligar o chuveiro. No entanto, o sal vai se dissolver muito rápido na água corrente, fazendo com que o contato do sal com a pele seja muito mais breve do que no caso de quem pode usar uma banheira.

2. Sal amargo como um agente de beleza

O sal amargo também é usado para
beneficiar a saúde da pele e do cabelo. Pessoas com espinhas, por exemplo, podem
usar o sal como um esfoliante natural para reduzir a incidência de espinhas na
pele. Basta colocar um pouco do sal nas mãos, umedecer a pele e iniciar a
esfoliação.

Essa prática parece promover uma
limpeza profunda na pele e limpar bem os poros. O uso de apenas meia colher de
chá de sal amargo na esfoliação do rosto já é quantidade suficiente para uma
esfoliação profunda e eficiente.

No lugar da água, algumas pessoas
usam um creme para o rosto de sua preferência para uma esfoliação mais suave.

No caso do cabelo, há quem misture sal amargo ao condicionar para deixá-lo com mais volume. Basta combinar o condicionador que você já usa com o sal de Epsom em partes iguais. Depois disso, passe a mistura de sal e condicionador pelo cabelo e deixe agir por pelo menos 20 minutos. Após esse tempo, enxague bem o cabelo e seque como de costume.

A aplicação de sal no cabelo é um pouco controversa, já que muitos shampoos e condicionadores do mercado têm removido o sal de suas fórmulas com a justificativa de que o sal pode prejudicar a saúde dos fios.

Apesar desses usos existirem, eles são anedóticos, ou seja, não são suportados por nenhum estudo científico.

– Uso oral

Não é indicado usar o sal amargo por
via oral a menos que indicado por um médico. Isso porque o sulfato de magnésio
tem um efeito laxante que pode ser útil no tratamento e alívio de algumas
condições de saúde como a prisão de ventre, por exemplo.

Nesse caso, é indicado comprar
sulfato de magnésio na forma de um medicamento. Nas bulas, o mais indicado para
adultos é usar de 2 a 6 colheres de chá (o equivalente a 10 a 30 gramas)
dissolvidas em água diariamente.

Para crianças, a recomendação é o
uso de 1 a 2 colheres de chá (o que equivale a 5 a 10 gramas) de sulfato de
magnésio por dia.

O ideal é sempre começar com uma
dose baixa (de 5 a 10 gramas) e ir aumentando aos poucos se houver necessidade,
sempre lembrando que as necessidades de magnésio de cada indivíduo podem variar
e uma dose ideal para uma pessoa pode não ser benéfica para outra.

O uso em excesso de sulfato de
magnésio pode causar efeitos colaterais indesejados como um efeito laxante mais
prolongado do que deveria ser, o que pode causar um grande desconforto
gastrointestinal.

Assim, é melhor só tomar o sal
amargo por via oral se isso for recomendado por um profissional. Além disso, a
dose indicada deve ser respeitada e seguida à risca para evitar problemas já
que o consumo de sulfato de magnésio em quantidades exorbitantes pode resultar
em um envenenamento.

Por causa do efeito laxante, algumas pessoas acreditam que tomar o sal amargo emagrece. Na verdade, o efeito laxante pode induzir a uma leve perda de peso porque o indivíduo passa a evacuar com mais frequência. No entanto, perder peso por meio do uso de laxantes pode ser muito prejudicial para a saúde porque junto com os quilos a menos, também vão embora nutrientes importantes para o metabolismo além do risco de a pessoa sofrer desidratação.

Efeitos colaterais

Apesar de ser considerado um
composto seguro, alguns efeitos adversos podem ser observados principalmente
quando o sal é tomado por via oral.

O sulfato de magnésio quando
ingerido por via oral pode causar um efeito laxante. Assim, efeitos colaterais
como diarreia, dor de estômago e inchaço abdominal podem ocorrer.

Algumas pessoas bebem água com sal
de Epsom com o intuito de observar seu efeito laxante. Nesses casos, é
indispensável tomar muita água para reduzir o desconforto digestivo e evitar a
desidratação.

Efeitos colaterais relacionados ao
consumo em excesso de sal amargo podem incluir:

  • Náuseas;
  • Dor de cabeça;
  • Tontura;
  • Vermelhidão na pele.

Em casos muito raros em que uma
pessoa consome quantidades exageradas de sal amargo, podem ser observados
quadros clínicos mais graves como problemas cardíacos, paralisia, coma e até a
morte. Porém, esses quadros são raríssimos e nunca serão observados em pessoas
que usam o sulfato de magnésio sempre seguindo orientações médicas ou
informações contidas na bula.

Há a possibilidade da ocorrência de
reações alérgicas. Se sintomas de reações alérgicas forem observados, é
importante buscar auxílio médico imediatamente.

Como os benefícios do sal amargo
ainda não foram totalmente comprovados pela ciência, é importante ter cautela e
sempre consultar um médico para tratar casos de constipação crônica e de
deficiência nutricional em magnésio.

Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar de tantos benefícios do sal amargo como os listados acima? Já experimentou o uso desse composto de alguma forma? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.