Diabético Pode Comer Granola?

      Comentários desativados em Diabético Pode Comer Granola?
Granola

Se você possui diabetes, sabe que precisa fazer algumas mudanças no estilo de vida e principalmente na alimentação. Será, por exemplo, que o diabético pode comer granola?

Primeiramente, vale lembrar que uma pessoa tem diabetes quando os seus níveis de glicose ou açúcar no sangue, que é a maior fonte de energia do nosso organismo e é oriunda dos alimentos que consumimos nas refeições, se encontram muito elevados.

A
condição é desenvolvida quando o organismo não consegue produzir uma quantidade
suficiente ou qualquer quantidade de insulina ou não utiliza o hormônio
adequadamente, o que faz com que a glicose permaneça no sangue e não atinja as
células do organismo. Isso porque a insulina é responsável por auxiliar a
glicose obtida na dieta a chegar até as nossas células e ser utilizada como
energia.

Ao ser diagnosticado com diabetes, é fundamental que o paciente siga todas as orientações passadas pelo médico para o seu tratamento, incluindo algumas diretrizes de dieta para diabéticos que você já pode conhecer.

O diabético pode comer granola?

Depois de ser diagnosticada com a diabetes, uma das primeiras preocupações que uma pessoa provavelmente tem é a respeito de como será a sua alimentação a partir de então. Em termos de dieta, uma dúvida que pode surgir é: será que o diabético pode comer granola?

A granola faz parte do grupo de alimentos que, embora sejam rotulados como saudáveis, podem trazer perigos escondidos para quem sofre com a diabetes do tipo 2.

Mas qual é o problema com a granola? Ela pode trazer mais carboidratos do que se espera, na forma de açúcar adicionado ou de outros ingredientes utilizados para deixar o produto final mais doce.

Segundo a nutricionista Kerri-Ann Jennings, a granola é um dos típicos alimentos de café da manhã que apresentam teores pesados de carboidratos em sua composição. Ou seja, a maior parte da composição da granola corresponde aos carboidratos. Para você ter uma noção, a granola integral da marca Jasmine contém 50 g de carboidratos em uma porção de uma xícara.

Veja aqui em mais detalhes quantos carboidratos têm diversas versões da granola.

Vale
lembrar que os carboidratos são transformados em açúcar dentro
do nosso organismo.

A maioria das granolas é adoçada com açúcar ou mel e quando a receita recebe o acréscimo de frutas secas, uma dose ainda mais elevada de carboidratos é adicionada.

As frutas secas até podem ser uma boa fonte de fibras, ao lado dos carboidratos, no entanto, não funcionam bem quando são colocadas junto de outra fonte de carboidratos como a granola, que é considerada uma fonte concentrada de carboidratos.

Por todos esses motivos, vale a pena você conferir algumas receitas de granola light para fazer a sua própria em casa.

Isso significa que mesmo uma porção pequena do alimento pode render muitos carboidratos para o diabético. De acordo com a nutricionista e educadora sobre diabetes, Tammy Randall, a pessoa pode não se satisfazer com o volume de alimento consumido, mesmo que ele ofereça toda essa cota de carboidratos.

A contagem de carboidratos na dieta do diabético

Segundo a Associação Americana de Diabetes, a contagem de carboidratos é uma das diversas alternativas de dieta que podem ser utilizadas para controlar os níveis de glicose (açúcar) no sangue dos diabéticos, usada com mais frequência por pessoas que tomam insulina duas vezes ou mais a cada dia.

O
método envolve contar a quantidade em gramas de carboidratos de cada refeição,
combinando com a dose de insulina, explicou a organização. Segundo a
instituição, com o equilíbrio correto da prática de atividades físicas e do uso
de insulina, a contagem de carboidratos pode auxiliar a controlar as taxas de
glicose no sangue.

Entretanto,
a Associação Americana de Diabetes ressaltou que a quantidade de carboidratos
que cada diabético pode consumir em cada refeição deve ser definida em conjunto
com o médico responsável pelo tratamento. Ou seja, o limite é individualizado
conforme as necessidades de cada paciente.

Isso significa que, ao ser diagnosticado com a diabetes, o paciente precisa questionar o médico e/ou o nutricionista a respeito de qual é o limite de carboidratos que ele pode consumir em cada refeição e, tendo esses valores em mãos, poderá definir, com a ajuda dos profissionais, se existe alguma ocasião em que o diabético pode comer granola.

Entretanto,
é preciso ter muita sabedoria e orientação em relação a isso para não
desperdiçar toda a cota de carboidratos de uma refeição com um pouquinho de
granola, deixando de consumir outros alimentos necessários para a dieta.

O tipo e quantidade de granola apropriados para o diabético

As pessoas com diabetes devem ter cuidado com o produto, segundo alguns especialistas. Por exemplo, a granola para os diabéticos deve conter a informação “sem adição de açúcar na embalagem”.

Porém, mesmo esse tipo de granola não pode ser consumida à vontade. A quantidade diária vai depender do seu plano alimentar, como estão distribuídos os alimentos durante todo o dia. É sugerido, no máximo, 1 colher de sopa com 1 proteína como iogurte sem adição de açúcar.

Como
diferentes quadros de diabetes exigem diferentes controles na dieta, consulte o
seu nutricionista para saber qual a quantidade máxima de granola que você pode
ingerir, tendo em vistas as particularidades do seu caso.

Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar se o diabético pode comer granola ou não? Foi diagnosticado com essa condição e precisa fazer mudanças na dieta? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.