Fazer pão em casa pode ser mais fácil do que você imagina!

      Comentários desativados em Fazer pão em casa pode ser mais fácil do que você imagina!

Vender pão caseiro não é uma tarefa difícil, pois a paixão dos brasileiros por pães é quase unânime. Por isso, vale a pena saber um pouco mais sobre eles e seus ingredientes. Confira dicas e informações sobre o preparo do pãozinho!

Preparar pão em casa pode ser mais fácil do que você imagina!
Istock/Getty Images

Fresco ou seco?

É bem frustrante notar que o pão que você acabou de preparar não cresceu, não é mesmo? Para não desperdiçar ingredientes com esse problema, saiba que o segredo está no fermento. Mesmo sendo usado em poucas quantidades, ele faz toda a diferença no resultado final. Para entender um pouquinho mais sobre ele, é preciso conhecer os dois tipos de fermentos biológicos usados na preparação de pães: o fresco e o seco.

O fermento biológico seco é vendido em supermercados, na forma de pequenos grãos embalados em saquinhos, e deve ser mantido fora da geladeira. A durabilidade é de cerca de 6 meses. Já o fermento fresco tem cor creme-acinzentado e é vendido por peso (gramas) em padarias ou em pacotes em supermercados. Este fermento precisa sempre ser mantido refrigerado. Além disso, a validade é de no máximo 15 dias.

Apesar de aspectos diferentes, ambos têm o mesmo tipo de levedura, por isso podem ser substituídos em qualquer receita, sem alterar o sabor do pão. É só lembrar que 1 tablete de fermento biológico fresco (15g) equivale a 1 colher (sopa) de fermento biológico seco (5g) ou 1 envelope de fermento biológico seco pode ser substituído por 3 tabletes do fermento fresco.

Veja também

Farinha branca ou integral?

Assim como o fermento, há mais de um tipo de farinha no mercado. Tem farinha de arroz, de centeio, de aveia e as de trigo. Neste último caso, existe a farinha de trigo integral e a farinha de trigo branca, ou seja, a refinada. A farinha de trigo branca, mais comum entre os consumidores, é derivada da moagem do esperma do grão de trigo. Já na integral, o grão de trigo é moído por inteiro, deixando-a com mais fibras e com um valor nutritivo maior em comparação à farinha branca. Contudo, ambas têm o valor calórico quase que idêntico.

Em todas as receitas de pão você pode incluir farinha de trigo integral. Mas, ela deve ser usada na mesma proporção que a farinha de trigo branca ou em uma quantidade menor. Por exemplo, se a receita solicita 2 xícaras (chá) de farinha de trigo branca, você pode trocar por 1 xícara (chá) de farinha de trigo refinada e 1 de farinha integral. Ou então, 1 e 1/2 xícara (chá) de farinha branca e 1/2 de farinha de trigo integral.

Preparar pão em casa pode ser mais fácil do que você imagina!
Istock/Getty Images

se você deseja praticidade, invista nas misturas para pães. Com elas você não precisa acrescentar o fermento e também pode dispensar a adição de grãos e outros itens para dar sabor seu pão, pois já há as opções como o mix pão integral, mix pão multigrãos, pão italiano, baguete francesa etc.

Ovo fresquinho

Além da importância da farinha de trigo e do fermento na preparação do pãozinho, os ovos também são essenciais para que a receita dê água na boca ao sair do forno. Mas para isso acontecer, eles precisam estar frescos. Mas não vale somente olhar na data de validade da embalagem. É interessante fazer um teste, colocando o ovo em um copo com água. Se ele afundar na horizontal, está fresco. Já se o ovo boiar com a ponta para baixo ou boiar até a superfície, está velho. Outra dica na hora de utilizar os ovos, é de sempre retirá-los da geladeira antes de iniciar o preparo da receita para que estejam em temperatura ambiente na hora de misturá-los aos demais ingredientes.

Xô, mofo!

Os pães caseiros têm um gostinho especial, diferente de produtos industrializados, preparados em máquinas e com muitos componentes químicos. Entretanto, o pão feito em casa tende a durar menos, e esse fator pode ser levado em consideração na hora do cliente decidir em comprar a sua receita caseira ou o pão no supermercado. Por isso, vale apostar em produtos antimofo que não alteram o sabor e retiram a umidade sem deixar o pão seco, aumentando a conservação e o prazo de validade do seu pãozinho. Um pão caseiro sem um produto que previna a formação de bolor tem validade de cerca de 1 semana. Já com o antimofo o mesmo pão pode durar por até 15 dias.

Preparar pão em casa pode ser mais fácil do que você imagina!
Istock/Getty Images

Além do uso do antimofo, há outras maneiras para melhorar a conservação dos pães caseiros. A primordial é a limpeza, tanto do local onde o pão está sendo produzido, dos equipamentos, quanto da pessoa que está com a mão na massa, que pode contaminar o pãozinho e favorecer o surgimento do mofo. Depois de retirar o pão do forno, também é preciso muita atenção. No caso do pão de forma, por exemplo, que pode ser vendido já fatiado, é importante cortar as fatias somente após o resfriamento do pão.

Dicas para fazer um pão delicioso e não errar no ponto

  • Evite muito calor: se você aquecer demais o líquido (água ou leite) que irá ativar o fermento, pode dar errado. A dica é deixar levemente morno, pois passando dos 40ºC, o calor pode matar o fermento e seu pão não cresce.
  • Fermento e sal não combinam: se você exagerar no sal, pode matar o fermento, por isso é importante não colocá-los em contato direto. O ideal é espalhar a farinha nos cantos do recipiente para evitar que isso aconteça.
  • Qual é o ponto de sova? O ideal é sovar a massa pão até que ela fique bem elástica e lisa. E como saber se está correto? Faça o teste: aperte a massa com o dedo e observe, se ela começar a “voltar”, está no ponto. O ideal é sovar por 10 a 15 minutos.
  • Não se esqueça do açúcar! Mesmo que o pão seja salgado, o fermento biológico deve ser ativado com açúcar, pois o fermento precisa de algo para se “alimentar”, e o açúcar é aposta certa.
  • Não deixe o pão esfriar no forno: isso pode ressecar o pão e deixá-lo muito duro.

 

Texto: Lirian Pádua/Isabela Zamboni