Manteiga é Remoso?

      Comentários desativados em Manteiga é Remoso?
Manteiga

A manteiga é um daqueles itens da nossa cozinha que pode ser utilizado de diversas formas. Além do clássico e famoso pão com manteiga, podemos passar o ingrediente na tapioca, preparar pipoca amanteigada, milho na manteiga e até carne na manteiga. O ingrediente também é útil para untar as formas que receberão os bolos prestes a serem assados no forno.

Mas será que mesmo tendo tantas serventias na cozinha, a manteiga não pode fazer mal para a saúde? Será que manteiga é remoso?

O que são alimentos remosos?

Antes de sabermos se manteiga é remoso, precisamos compreender o que são os alimentos remosos, não é mesmo?

Pois bem, de acordo com o dicionário, a
expressão remoso significa “capaz de prejudicar a saúde, que faz mal à saúde, especialmente
ao sangue […]”. O termo ainda pode sofrer uma pequena variação e ser chamado
de reimoso.

Já o termo reimoso não se trata de uma classificação científica, mas é uma expressão antiga, associada à sabedoria popular, que também pode definir os alimentos que podem provocar inflamação na pele, em decorrência de uma reação alérgica. Chama-se popularmente de reima algo que pode ser considerado um alergênico e que causa reações como coceira, diarreia e intoxicações mais sérias em algumas pessoas.

Os alimentos remosos ou reimosos também são conhecidos pela alcunha de
“alimentos carregados” e explicou que essas comidas costumam apresentar
quantidades elevadas de proteína e gordura animal.

E então, a manteiga é remoso?

A manteiga é preparada a partir de gordura de origem animal e leite de vaca. Além disso, ingrediente é composto por 80% de gordura, lactose água e sal, completou a especialista.

Ainda que sirva como uma fonte de vitamina A, a manteiga é rica em gorduras saturadas e colesterol e, portanto, o consumo do alimento precisa acontecer com bastante moderação.

A manteiga é apresentada, ao lado das carnes gordurosas e do leite, como uma gordura animal, que é uma das principais fontes de gorduras saturadas. Essas gorduras saturadas de origem animal contribuem com a inflamação no organismo.

O problema com as gorduras saturadas

A Associação Americana do Coração recomenda limitar a ingestão de
gorduras saturadas – como as que são encontradas na manteiga. O conselho da
organização é que apenas 5% a 6% das calorias diárias venham de gorduras
saturadas.

Isso significa que para uma pessoa que consome 2 mil calorias
diariamente, no máximo 120 calorias devem ser de gorduras saturadas,
exemplificou a associação, que esclareceu ainda que isso corresponde a 13 g da
substância.

Segundo a instituição, “décadas de ciência sólida provaram que elas (as gorduras saturadas) podem aumentar o colesterol ruim e te colocar em um risco mais alto de doença cardíaca.”

Substituir alimentos ricos em gorduras saturadas por alternativas mais
saudáveis pode diminuir os níveis de colesterol no sangue e melhor o perfil
lipídico, destacou a Associação Americana do Coração.

No mesmo sentido, uma dieta rica em gorduras saturadas pode elevar as
taxas totais de colesterol e pender esses níveis mais para o colesterol LDL,
também conhecido como o colesterol ruim.

A publicação do site da Escola Médica de Harvard também apontou que embora uma meta-análise de 21 estudos tenha indicado que não existem evidências suficientes para concluir que as gorduras saturadas aumentam o risco de doença no coração, também indicou que substituir as gorduras saturadas por gorduras poli-insaturadas pode diminuir os riscos de doença cardíaca.

Outros dois estudos grandes afirmaram que trocar as gorduras saturadas pelas gorduras poli-insaturadas ou carboidratos ricos em fibras é a melhor alternativa para diminuir os riscos de doença no coração, porém, substituir as gorduras saturadas por carboidratos altamente processados pode trazer o efeito contrário.

Alergia

A manteiga é um produto laticínio e, de acordo com Food Allergy Research & Education (Pesquisa e Educação em Alergia Alimentar, tradução livre, FARE, sigla em inglês), é possível que uma pessoa apresente alergia aos produtos laticínios, ou seja, aos produtos com leite de vaca.

A alergia aos produtos laticínios é uma condição que envolve o sistema imunológico em que o organismo responde às proteínas presentes no leite e outros produtos laticínios como se elas fossem invasoras perigosas.

A alergia aos produtos laticínios pode trazer sintomas como: diarreia,
náusea, vômito, cólica, inchaço, gases, erupção cutânea, urticária (lesão na
pele com manchas ou placas vermelhas que coçam), inchaço (geralmente no rosto e
nos lábios), chiado no peito, aperto na garganta, dificuldade para engolir e
sangue nas fezes, especialmente em nenéns.

A condição também pode provocar a anafilaxia, que é uma reação
potencialmente fatal.

A Academia Americana de Alergia, Asma e Imunologia (AAAAI) e o Colégio
Americano de Alergia Asma e Imunologia (ACAAI, sigla em inglês) informaram que
a anafilaxia pode envolver sinais como:

  • Erupção cutânea com vergões que
    coçam;
  • Inchaço na garganta ou outras áreas;
  • Chiado no peito;
  • Desmaio;
  • Aperto no peito ou na garganta;
  • Tosse;
  • Dificuldade para respirar ou engolir;
  • Rouquidão;
  • Vômito;
  • Diarreia;
  • Cólica estomacal;
  • Palidez ou coloração vermelha no
    rosto ou corpo;
  • Sensação de fatalidade iminente;
  • Dor abdominal;
  • Náusea;
  • Tontura;
  • Pressão arterial baixa;
  • Batimento cardíaco rápido;
  • Parada cardíaca.

De acordo com a AAAAI, os sintomas da anafilaxia podem aparecer dentro de 5 a 30 minutos depois do contato com a substância que causou a alergia, e pode levar mais de uma hora para que esses sinais sejam percebidos.

A ACAAI alertou que pessoas que já sofreram com reações alérgicas
severas têm risco de apresentar reações novamente no futuro e que mesmo quem
teve reações leves, mais para a frente pode sofrer com sintomas mais severos.

Embora muitas manteigas não tenham proteínas em sua composição, ao sofrer com qualquer um dos sintomas associados à alergia aos produtos laticínios depois de consumir a manteiga, procure imediatamente o auxílio médico.

Isso é fundamental para receber o diagnóstico e o tratamento adequados,
além de saber como deve se portar a partir de então em relação ao consumo da
manteiga e de outros produtos laticínios para evitar sofrer com os sintomas
novamente.

Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que manteiga é remoso? Costuma consumir manteiga com frequência no seu dia a dia? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.