Como Tirar Agrotóxico dos Alimentos

      Comentários desativados em Como Tirar Agrotóxico dos Alimentos
Agrotóxicos

De acordo com o dicionário, os agrotóxicos são produtos químicos utilizados no combate e na prevenção de pragas agrícolas, que previnem ou exterminam pragas ou doenças em plantações. Os fungicidas, herbicidas, inseticidas e pesticidas são conhecidos como os tipos de agrotóxicos mais utilizados.

Segundo o portal do Ministério da Saúde, os agrotóxicos são definidos no Brasil por Lei, como “produtos e agentes de processos físicos, químicos ou biológicos, destinados ao uso nos setores de produção, no armazenamento e beneficiamento de produtos agrícolas, nas pastagens, na proteção de florestas, nativas ou implantadas, e de outros ecossistemas e também de ambientes urbanos, hídricos e industriais, cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, a fim de preservá-las da ação danosa de seres vivos considerados nocivos; substâncias e produtos, empregados como desfolhantes, dessecantes, estimuladores e inibidores de crescimento”.

Quanto mais água e menos fibras o alimento tiver, maior será sua concentração de agrotóxicos e de outras substâncias, o que também pode ser causado por adubos, que penetram não somente na casca mas em todo alimento. Morango, pimentão, pepino, tomate, alface, cenoura, abacaxi, beterraba e mamão são os alimentos que mais possuem agrotóxicos no Brasil. Mas será que há como tirar agrotóxico dos alimentos?

Qual o problema com os agrotóxicos?

Você provavelmente já deve
ser escutado, assistido ou lido alguma notícia negativa em relação aos
agrotóxicos. Uma mostra disso é que o portal do Ministério da Saúde informa que
o uso contínuo, indiscriminado e inadequado dessas substâncias é considerado um
relevante problema ambiental e de saúde pública.

Segundo o portal, “os efeitos à saúde humana decorrentes da exposição direta ou indireta aos agrotóxicos podem variar de acordo (com) a toxicidade, tipo de princípio ativo, dose, tempo de exposição e via de exposição”.

Estudos realizados pelo aluno de doutorado em Saúde Pública e Meio Ambiente da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Ensp/Fiocruz), Cleber Cremonese, indicam que parte dos agrotóxicos pode desregular o sistema endócrino, alterando os níveis de hormônios sexuais e provocando efeitos prejudiciais, especialmente para o sistema reprodutor.

Essas reações podem incluir
câncer de mama, câncer de ovário, câncer de testículo, câncer de próstata,
desregulação do ciclo menstrual, infertilidade, baixa na qualidade do sêmen e
malformação de órgãos reprodutivos.

Em suas pesquisas, Cremonese avaliou moradores de Farroupilha (RS). Em um primeiro estudo, ele trabalhou com homens e mulheres adultos, trabalhadores rurais e seus familiares, que tinham entre 18 a 69 anos; no segundo, ele analisou jovens das zonas rurais e urbanas com idade entre 18 a 23 anos.

Para chegar aos resultados apontados, o doutorando coletou amostras de sangue e sêmen e aplicou questionários.

Ele concluiu que seus
estudos sugerem que as exposições crônicas aos agrotóxicos interferem na
regulação dos hormônios sexuais nos adultos e na qualidade do sêmen dos jovens
nas regiões onde o estudo foi conduzido.

Cleber afirmou ainda que o
uso dos agrotóxicos já foi associado a outros problemas de saúde como doenças
neurodegenerativas como Parkinson, distúrbios cognitivos, transtornos
psiquiátricos, alterações respiratórias e imunilógicas, problemas no fígado e
nos rins e complicações na gestação como aborto, malformações congênitas e
baixo peso ao nascer.

O doutorando defende intervenções de curto, médio e longo prazo para diminuir ou minimizar os problemas causados pelos agrotóxicos à saúde dos grupos de risco em relação aos efeitos dessas substâncias.

Grupos de risco

Trabalhadores rurais, de
empresas do agronegócio, de fábricas formuladoras e desintetizadoras e de
campanhas de saúde pública, além das pessoas que moram próximo a áreas de risco
de formulação e uso de agrotóxicos são vulneráveis à exposição aos agrotóxicos.

Crianças, gestantes, mulheres que estejam amamentando, idosos e pessoas com a saúde debilitada fazem parte do grupo de pessoas que são mais suscetíveis aos efeitos dos agrotóxicos.

Com isso, saber como tirar agrotóxico dos alimentos torna-se algo bastante útil, não é mesmo?

Mas então, como tirar agrotóxico dos alimentos?

Para quem pensa que dá para
tirar agrotóxico dos alimentos apenas removendo a sua casca, temos uma má
notícia: isso não é possível.

Mesmo que a casca do alimento seja retirada, os químicos que penetraram no alimento não podem ser removidos e acabam se acumulando no corpo humano ao longo dos anos, causando danos à saúde. Também não é muito bom remover a casca porque a maior parte das vitaminas encontra-se nela.

Uma sugestão para tentar tirar agrotóxico dos alimentos é lavar muito bem todas as frutas, legumes, verduras e hortaliças antes de consumi-los.

Recomenda-se lavar os alimentos na água corrente durante, no mínimo, um minuto e usar iodo 2% – 5 ml em 1 litro de água – bicarbonato – 1 colher de sopa para 1 litro de água – ou vinagre – 1 parte para 2 partes de água -, deixando de molho durante 30 minutos e lavando os alimentos após esse tempo. Também é aconselhado ferver os alimentos.

Embora a higienização diminua a quantidade de agrotóxicos, o procedimento não garante a eliminação total dessas substâncias.

Para o diretor médico do Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox), da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Anthony Wong, quando se trata de um agrotóxico de superfície, em que a aplicação limitou-se à parte externa do alimento, na maioria das vezes, o risco é eliminado quando se lava bem o alimento.

Entretanto, o toxicologista destacou que quando houve a penetração do agrotóxico, fica mais difícil remover a substância. Wong explicou que, nesses casos, a fervura pode inativar a substância, porém, também alertou que existem agrotóxicos à base de zinco ou estanho, à base de metais, que não são inativados pela fervura.

Por isso, a melhor forma mesmo de se proteger e evitar a ingestão de agrotóxicos é optar pelos alimentos de agricultura biológica, que também são conhecidos por alimentos orgânicos, porque estes não contêm nenhum tipo de pesticidas, recomendam especialistas.

Outro conselho é criar a sua própria horta em casa de frutas, legumes, hortaliças e verduras, no terreno ou em vaso de plantas, utilizando somente produtos naturais – nada de agrotóxicos – para combater as pragas.

Também é possível fazer algum tratamento preventivo, inclusive homeopático, para eliminar os metais pesados tóxicos presentes nos agrotóxicos dos alimentos. Converse com o seu médico a respeito disso.

Referências Adicionais:

Você se interessa em tirar agrotóxico dos alimentos? Como faz essa prática? Já experimentou o consumo de alimentos orgânicos? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.