Pitanga

      Nenhum comentário em Pitanga

Pitanga

(Eugenia uniflora)

Época de frutificação – no verão.

Esta maravilha é nativa do Brasil.

Cultivo da pitanga

Ela cresce bem em climas quentes e úmidos.

Não requer solo alto.

Pode ser reproduzido por semente e enxertia.

Não existe cultivo em grande escala no Brasil.

O nome “pitanga”

“Pitanga” é uma palavra da língua tupi que significa vermelho.

Na verdade, é uma fruta vermelha, roxa e às vezes quase preta.

Tem um gosto delicioso e refrescante, refrigerante.

A doçura da polpa de pitanga, levemente ácida e com perfume próprio e único, tem lugar reservado no gosto dos brasileiros.

Origem

A pitanga é originária do Brasil e pode ser vista em todo o país.

Estende-se do nordeste ao Rio Grande do Sul e ainda atravessa a fronteira para chegar a algumas áreas do Uruguai e Argentina.

A pitanga plantada é uma fruta típica, indicada para quintais e pomares de casas ou recantos urbanos.

A árvore

A pitangueira é decorativa e pode formar belas sebes de jardim.

As flores da pitangueira são ricas, brancas e exalam um perfume muito delicado e agradável.

Com isso, a árvore passou a atrair a atenção das pessoas, mesmo à distância.

Seus galhos ficam totalmente pintados do branco das flores e depois do vermelho vivo das frutas.

Atrai um grande número de pássaros e, claro, crianças e adultos.

Receitinhas

A fruta é consumida em grandes quantidades in natura.

Também se fazem diversas receitas de sucos, refrescos, geleias e doces, além do famoso “licor de pitanga”.

É uma planta de grande produção, fácil manejo, fácil cultivo e boa resistência às condições urbanas.

Por isso pode ser cultivada em praças, parques e calçadas.

Além das frutas, ainda contribui para a beleza da cidade e a manutenção do restante dos animais.

Algumas indústrias de sucos e sorvetes do Nordeste já possuem pomares de pitangueiras.

Os frutos são utilizados para a produção de suco de pitanga envasado e polpa congelada.

Cultivo em vasos

Esta é uma fruta que não faz grandes exigências de solo.

Esta é mais uma razão porque é fácil e conveniente cultivá-la em vasos (para quem não tem espaço).

Na natureza a árvore não passa dos 3 a 4 m, a não ser em solos altamente favoráveis, nos quais pode atingir até 6 m de altura.

Mas num vaso de 40 x 40 (ou até menor) não cresce muito, limitando-se à pouca terra que possui.

Mas uma boa medida para você experimentar, seria juntando duas partes de areia para uma de terra vegetal e outra de composto orgânico.

É sempre bom lembrar que, apesar de se dar bem até na areia, ela gosta do solo ligeiramente úmido.

E, na época da floração, logo após começar a florir, durante umas três semanas, agoe todos os dias.

Com isso ela vai produzir frutos maiores, mais saborosos e em maior quantidade.

E, quando chegar a época, todo ano você vai ter estas deliciosas frutinha a sua disposição, ao alcance de sua mão.

Nada melhor.

A arvorezinha tem tendência a dar galhos baixos e ficar parecendo um arbusto. 

Pode podá-los, como quiser. Ela não sente com isso.

E é bom adubar a terra do vaso com farinha de osso, mais ou menos a cada três meses.

Agora, a única notícia não muito boa: ela vai demorar uns três ou quatro anos para começar a produzir. 

Neste caso, a poda dos ramos baixos vai ajudá-la a “andar mais depressa”.

Receita de doce de pitanga

Ingredientes

01 xícara de pitangas

01 xícara de açúcar cristal

½ xícara de água

Modo de preparo

Prepare uma calda grossa e ferva nela as pitangas

Vai se formar uma espuma que desaparecerá depois

Sirva frio ou gelado.

 

Resumo do capítulo

  • (Eugenia uniflora)
  • Cultivo  da pitanga
  • O nome “pitanga”
  • Origem
  • A árvore
  • Receitinhas
  • Cultivo em vasos

 

Você também pode se interessar por este artigo, onde vai encontrar mais de 

900+ NOMES DE FRUTAS BRASILEIRAS (nativas e exóticas)

e também este outro,

com todas as frutas com a letra U

 

Fontes:

Wikipedia

Apremavi

 

Artigo: pitanga

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.