Testosterona Injetável – Tipos, Para Que Serve e Efeitos Colaterais

      Comentários desativados em Testosterona Injetável – Tipos, Para Que Serve e Efeitos Colaterais
Testosterona injetável

Você sabe para que serve a testosterona injetável? Confira quais são os tipos, efeitos colaterais e em que situações cada tipo é recomendado pelo médico.

A testosterona é um hormônio esteroide masculino muito importante para os homens e que faz muito mais do que apenas melhorar o seu desejo sexual. Este hormônio afeta vários outros fatores em sua saúde, incluindo gordura corporal, densidade óssea, humor, massa muscular e humor.

Os níveis normais de testosterona estão entre 300 e 1.000 ng/dL. Se um exame de sangue aponta que os seus níveis estão muito abaixo do normal, seu médico pode sugerir injeções de testosterona, que são um tratamento chamado de terapia de reposição de testosterona.

Injeções de testosterona são frequentemente dadas pelo médico, e o local da injeção é tipicamente nos músculos glúteos das nádegas. Porém, o seu médico pode permitir a autoadministração, e nesse caso, o local da injeção seria nos músculos das coxas.

Veja mais também sobre a deficiência de testosterona, sintomas e causas, além de conhecer os melhores alimentos que aumentam a testosterona.

Tipos de Testosterona Injetável

Existem quatro formas de terapia de reposição de testosterona injetável; são eles:

1. Propionato

O propionato é um éster de testosterona de ação rápida que pode atingir o pico no sangue em poucas horas após ter sido administrado e pode ser metabolizado ao longo de três dias. Essas injeções devem ser administradas a cada dois ou três dias.

Antes de usar o propionato, é bom avaliar os prós e contras, pois ele só é prescrito em casos especiais, já que tem que ser administrado com frequência, e devido ao seu processo de aromatização, corre o risco de transformar a testosterona em estrogênio, o que pode causar alguns efeitos colaterais.

2. Cipionato

O cipionato é considerado uma testosterona de “ação prolongada” que é metabolizada em cerca de 7 a 8 dias. A dose inicial do tratamento fica entre 100 mg a 200 mg e ele deve ser administrado a cada 7 dias.

3. Suspensão aquosa de testosterona

A suspensão aquosa de testosterona também é conhecida como “sem éster”, e esta forma requer frequentes aplicações de injeções intramusculares, pois permanece no organismo por poucas horas.

Esta
injeção é muito dolorosa e experiências mostraram que os riscos superam seus
benefícios, e por isso não é altamente recomendada.

4. Enantato

Enantato é um éster de testosterona que é metabolizado ao longo de quatro a cinco dias, e em alguns casos, níveis baixos dessa testosterona injetável podem permanecer no organismo por até duas semanas.

É comumente administrada via injeção intramuscular com uma dose inicial aproximada de 100 a 200 mg. Para que os níveis sejam mantidos, deve ser administrada a cada 5 a 7 dias, o que pode fazer com que os pacientes mantenham os níveis ideais (800 ng a 1000 ng). Porém, vale lembrar que cada paciente é diferente do outro e os níveis iniciais de testosterona, entre outros fatores, podem influenciar a dosagem inicial e o tratamento.

Para que serve a injeção de testosterona

Alguns homens acabam diagnosticando a si mesmos com testosterona baixa, porém, o problema com o autodiagnóstico é que muitos dos sintomas da falta de testosterona são partes normais do envelhecimento. Portanto, usá-los para se autodiagnosticar não é confiável.

A única maneira de descobrir se os seus níveis de testosterona estão baixos mesmo é fazendo um exame com um médico que fará um exame físico, além de um exame de sangue para medir seus níveis de testosterona.

Provavelmente, você também terá que fazer um exame que mede a contagem de glóbulos vermelhos, já que as injeções com este hormônio podem aumentar a contagem desses glóbulos. Por isso, o exame é feito para garantir que você não corra o risco de um aumento perigoso dessas células.

Se esses exames revelarem que você
está com baixos níveis de testosterona, o seu médico poderá sugerir as
injeções.

A testosterona injetável serve para ajudar a regular os níveis hormonais masculinos e ajudar a resolver problemas relacionados a baixos níveis de testosterona. Os benefícios dessas injeções podem incluir:

  1. Aumento na contagem de espermatozoides;
  2. Melhora problemas com disfunção erétil;
  3. Melhora o humor;
  4. Aumenta o desejo sexual;
  5. Proporciona mais energia.

Mudanças na contagem de espermatozoides

Uma baixa contagem de espermatozoides é um efeito colateral comum dos níveis baixos de testosterona, e esse problema pode fazer com que seja mais difícil engravidar uma mulher.

No entanto, especialmente se feita em altas doses, a terapia com testosterona pode levar a contagens de espermatozoides reduzidas.

Mudanças musculares e de gordura corporal

Geralmente, os homens possuem menos gordura corporal do que as mulheres, e isso está parcialmente relacionado com a testosterona, que regula a distribuição de gordura e a manutenção muscular no corpo. Com baixos níveis deste hormônio, o homem provavelmente notará um aumento na gordura corporal.

O hormônio também ajuda a regular o crescimento muscular, então quem está com pouca testosterona poderá sentir que está perdendo a força ou que seus músculos estão diminuindo. No entanto, isso só acontece quando os níveis estão muito baixos ou baixos por muito tempo.

As doses de testosterona injetável podem ajudar a regular a distribuição de gordura, mas você não deve esperar mudanças significativas de peso apenas com a terapia hormonal. Quanto à manutenção muscular, fazer a terapia com testosterona ajuda a aumentar a massa muscular, mas não a força.

Efeitos colaterais

A injeção de testosterona pode
causar os seguintes efeitos colaterais:

  • Cansaço;
  • Aprofundamento da voz;
  • Dor ou aumento do peito;
  • Ganho de peso;
  • Dificuldade em adormecer ou permanecer dormindo;
  • Rouquidão;
  • Mudanças de humor;
  • Vermelhidão ou dor no local da injeção;
  • Acne;
  • Cansaço.

Alguns efeitos colaterais podem ser
mais graves, como por exemplo:

  • Náusea;
  • Vômito;
  • Fraqueza ou dormência de uma perna ou um braço;
  • Fala lenta ou difícil;
  • Ereções que acontecem com muita frequência ou que duram muito tempo;
  • Tontura ou desmaio;
  • Amarelamento dos olhos ou da pele;
  • Dor no peito;
  • Dificuldade em urinar, micção frequente, fluxo urinário fraco, necessidade súbita de urinar imediatamente;
  • Dor nas pernas, calor, inchaço ou vermelhidão;
  • Inchaço dos pés, pernas, mãos ou tornozelos;
  • Falta de ar;
  • Dificuldade em respirar, especialmente durante o sono.

Ao sentir qualquer um desses sintomas, consulte imediatamente o seu médico.

A testosterona injetável pode causar
uma diminuição no número de espermatozoides, principalmente quando utilizadas
em altas doses, por isso, se pretende ter filhos, converse com o seu médico
sobre os riscos de usar este medicamento.

Injeções de testosterona também podem aumentar o risco de desenvolver câncer de próstata e fazer com que os ossos envelheçam mais rapidamente do que o normal em crianças que entram em contato com esse medicamento, o que significa que elas podem parar de crescer mais cedo do que o esperado e consequentemente ter uma altura adulta menor do que a esperada.

A testosterona injetável pode causar outros efeitos colaterais, por isso, converse com o seu médico antes de começar o tratamento.

Quanto custa?

O preço do produto varia de acordo com a loja, tamanho e o tipo. Por exemplo, três ampolas de 2ml cada de Deposteron custam entre R$ 30,00 e R$ 44,00. Já 30 envelopes com 5g cada de Androgel custam entre R$ 189,00 e R$ 240,00, enquanto que uma ampola de 4 ml de Nebido pode custar entre R$ 500,00 e R$ 600,00.

Consulte sempre o seu médico antes de
iniciar o tratamento.

Referências Adicionais:

Você já utilizou testosterona injetável alguma vez? Foi diagnosticado pelo médico com níveis baixos deste hormônio? Comente abaixo!

Note: There is a rating embedded within this post, please visit this post to rate it.